Guia de preparação para entrevistas

A famosa “entrevista de emprego” é motivo de ansiedade para muitas pessoas. Não é fácil falar sobre si mesmo, ainda mais quando estamos sendo avaliados. Mesmo que você se sinta tranquilo para uma entrevista, pode ser interessante dar uma reforçada no preparo para esta etapa. É nela que você tem a chance de mostrar com mais profundidade quem você é e deixar a sua marca, fazendo com que o selecionador sinta que você é o candidato certo!

Este guia vai apresentar e explicar oito das perguntas mais comuns em entrevistas de trabalho e ajudá-lo a se preparar para respondê-las com propriedade e autenticidade. No final, você vai encontrar uma pergunta “bônus”, que pode fazer toda a diferença para o seu processo!

Questão número 1: Fale-me um pouco sobre você.

Perguntas semelhantes

  • Como você descreve sua personalidade?
  • Quais são suas características mais marcantes?

Objetivo da pergunta

Esta é uma pergunta inicial, que o entrevistador faz para começar a conhecer você, e perceber o que você valoriza em si, e o quanto conhece a si mesmo.

O que ter em mente para respondê-la bem?

Responda de maneira livre, mas seja objetivo. Você pode falar sobre sua vida pessoal e sua vida profissional. A ideia é mostrar um pouco da sua essência, do que é mais relevante sobre você, com um enfoque positivo. Alguns temas que você pode trazer são:

  • Sua formação e percurso profissional.
  • Seus objetivos profissionais e principais trabalhos que realizou, enfatizando os resultados.
  • As características e competências que você mais valoriza em si mesmo e nos outros.
  • Hobbies, atividades de lazer e família (seja breve neste tópico, ele não é o foco).

Demonstre segurança e autoconfiança e fale das suas qualidades. Explique o que te diferencia das outras pessoas. Qual é a sua marca pessoal?

Atenção!

Cuidado para não exagerar no autoelogio. Uma boa maneira de citar uma qualidade sem fazer isso é dizer que as outras pessoas veem esta ou aquela competência em você. Por exemplo, em vez de dizer “sou uma pessoa muito responsável, sempre cumpro os prazos”, você pode falar que “já comentaram comigo que eu sou muito pontual”, “o meu chefe me considera muito responsável”.

Não deixe o clima pesar. Mesmo que você esteja num momento ruim, desempregado ou com problemas na vida pessoal ou profissional, mantenha uma visão positiva e confiante ao falar sobre si.

Não é necessário entrar em detalhes sobre seus pontos fracos e dificuldades neste momento. O foco agora é no positivo. Espere até que o entrevistador traga o tema.

Prepare-se! Responda agora:

Fale um pouco sobre você.

 

Se quiser testar sua resposta:

  • Leia-a em voz alta. Como ela soa para você?
  • Leia-a para um amigo ou conhecido e verifique se ele te entendeu bem. Que impressão você passou?

Questão número 2: Quais são seus objetivos de carreira?

Perguntas semelhantes

  • Como você se vê em cinco, dez, vinte anos?
  • Por que você escolheu se candidatar para esta vaga?

Objetivo da pergunta

Esta pergunta ajudará o entrevistador a entender se você sabe o que quer profissionalmente e se faz sentido você buscar isso neste trabalho. Pessoas que têm clareza de objetivos e que estão no caminho deles se sentem mais realizadas, motivadas e produzem muito melhor. Por isso é importante para o selecionador (e para você também) saber o que quer e qual o papel deste trabalho na sua carreira.

O que ter em mente para respondê-la bem?

Saiba com clareza o que você quer para si profissionalmente. Tente identificar qual é o trabalho que você faria de tudo para alcançar: atividades que você quer realizar, estilo de trabalho, tipo de empresa e organização em que quer trabalhar. Então, pense e liste quais são os passos de carreira que te levarão até lá.

Pensar sobre seus objetivos de carreira não é rápido, e leva algum tempo, mas só assim você poderá demonstrar a segurança que o entrevistador espera. A área “Carreira com propósito” neste mesmo portal pode te ajudar com isso.

Você também tem que conhecer bem a empresa para a qual está se candidatando e quais produtos e valores ela entrega para os seus clientes. Dedique um tempo para navegar no site da organização e pesquise sobre ela na internet. Conhecê-la por dentro (estilo de gestão, desafios por quais ela passa, etc.) também te ajudará a perceber se os seus objetivos tem a ver com os dela. Demonstre esse seu conhecimento na entrevista.

Não escolha um trabalho só com base em objetivos de curto prazo, ou só por oportunidade.

Atenção!

Não dê respostas genéricas, seja específico! Dizer que seu objetivo é “realização profissional”, “equilíbrio de vida” ou “crescer na carreira” não vale nada a menos que você consiga explicar o que você quer dizer com isso. Por exemplo, “alcançar uma posição de gerência em uma empresa em que eu possa usar minha criatividade” é melhor e mais específico que “realização profissional”.

Não dê respostas com objetivos ou motivos de curto prazo. Dizer que se candidatou à vaga porque “está precisando de trabalho”, “está desesperado”, “é perto da minha casa”, “o salário estava bom”, “sempre gostei dos produtos da empresa” não vai trazer segurança para o entrevistador.

Prepare-se! Responda agora:

Quais são seus objetivos de carreira?

 

Se quiser testar sua resposta:

  • Leia-a em voz alta. Como ela soa para você?
  • Leia-a para um amigo ou conhecido, e verifique se ele te entendeu bem. Que impressão você passou?

Questão número 3: Conte-me sobre um momento em que você fez a atividade X (liderou um projeto, gerenciou um conflito, resolveu certo problema, etc.).

Perguntas semelhantes

  • Como você faria se tivesse que fazer a atividade X?
  • Você se considera um bom [líder / comunicador / planejador / etc.]?
  • Você tem a característica X?

Objetivo da pergunta

Esta pergunta tenta identificar se você tem certa competência necessária para o cargo ao qual você está se candidatando. É comum que a pergunta seja sobre uma destas características: liderança, comunicação, trabalhar sob pressão, trabalhar em equipe, tomada de decisão, lidar com conflitos, ou algum conhecimento específico da vaga em questão.

O que ter em mente para respondê-la bem?

Saiba que não basta apenas falar que tem aquela característica, você deve DEMONSTRAR que a possui. Para isso, apresente exemplos da sua história profissional em que fez algo que exigia aquela competência e conseguiu bons resultados. Explique quais foram esses resultados.

Atenção!

Fale de um exemplo real que aconteceu com você, e não de uma situação genérica. Se você não tiver um exemplo profissional sobre aquilo, vale um exemplo da vida pessoal. Por exemplo, você pode nunca ter gerenciado um conflito na sua vida profissional, mas provavelmente você já teve que fazer isso na vida pessoal. Se nunca tiver feito a atividade perguntada de maneira nenhuma, explique como você agiria se passasse por aquilo.

Prepare-se! Responda agora:

Conte abaixo sobre uma vez em que você teve que trabalhar sob pressão, ou liderar uma equipe, ou administrar um conflito.

Se quiser testar sua resposta:

  • Leia-a em voz alta. Como ela soa para você?
  • Leia-a para um amigo ou conhecido, e verifique se ele te entendeu bem. Que impressão você passou?

Questão número 4: Quais são seus pontos fortes?

Perguntas semelhantes

  • Quais são suas maiores qualidades?
  • Qual será sua maior contribuição para este trabalho?
  • Por que devemos contratar você?

Objetivo da pergunta

Buscar conhecer seus talentos, seus diferenciais que agregariam para o trabalho em questão.

O que ter em mente para respondê-la bem?

Seus pontos fortes podem ser conhecimentos, habilidades ou atitudes. Identifique quais desses itens você tem e que poderiam ser bem utilizados no trabalho para o qual você está se candidatando. Saiba dar exemplos que provem que você realmente tem estes pontos fortes. Uma boa opção é falar de algo que você tenha feito ou vivido e que demonstre esta competência. Tenha esses exemplos na ponta da língua. Você também pode falar de aspectos pessoais, desde que consiga explicar como eles podem ser relevantes no trabalho.

Atenção!

Cuidado com generalidades. Por exemplo, ao falar que você é “proativo” ou tem “bom relacionamento”, você precisa explicar e dar uma prova de que tem aquela característica, e de que ela traz resultados. O entrevistador pode te questionar, e não saber se explicar não pega bem. Mate a cobra e mostre o pau! Por exemplo, para demonstrar sua proatividade, você poderia contar sobre uma vez em que tenha identificado um problema antes de todo mundo e dado uma solução para ele, evitando atrasos ou algum dano maior em certo trabalho.

Prepare-se! Responda agora:

Quais são seus pontos fortes? Por que devemos contratar você?

Se quiser testar sua resposta:

  • Leia-a em voz alta. Como ela soa para você?
  • Leia-a para um amigo ou conhecido, e verifique se ele te entendeu bem. Que impressão você passou?

 

Questão número 5: Quais são seus pontos fracos?

Perguntas semelhantes

  • Conte-me de uma vez em que você não atingiu o resultado esperado.
  • Conte-me de uma vez em que você falhou.
  • Quais são seus defeitos?

Objetivo da pergunta

Todos nós temos pontos fracos. O objetivo desta pergunta, em primeiro lugar, é identificar aqueles pontos em que você pode ter problemas para atingir resultados. Mas o objetivo principal dela é entender se você conhece bem as suas fragilidades e como você lida com elas.

O que ter em mente para respondê-la bem?

Saiba quais são seus pontos fracos, explique a qual risco eles te expõem e diga o que você faz para lidar bem com eles ou diminuir o risco que eles trazem. O bom candidato não é aquele que não tem defeitos, mas aquele que impede que seus defeitos atrapalhem seus resultados. Talvez você seja distraído, mas isso não será um problema se você tiver o hábito de anotar todos os seus compromissos para não se esquecer deles. Se você for ansioso, mas for capaz de respirar fundo e administrar a ansiedade, tudo bem.

Sempre que passar por perguntas negativas, encare de frente, mas busque ser objetivo e breve.

Atenção!

Algumas pessoas escolhem dizer um ponto fraco que possa ser visto como ponto forte pelo entrevistador. Uma resposta clássica deste tipo é dizer que é “perfeccionista”. Se você não souber justificar como este ponto pode te atrapalhar na prática, você não está descrevendo um ponto fraco, e o entrevistador pode achar que você não conhece suas fraquezas ou está tentando escondê-las.

Cuidado para não assustar o entrevistador. Seja positivo! Fale de problemas reais, mas evite exemplificar com tragédias ou situações em que as coisas acabaram dando errado. Deixe claro como administra a sua fraqueza e que você tem estratégias para garantir os resultados apesar delas!

Prepare-se! Responda agora:

Quais são seus pontos fracos? Descreva uma vez em que você falhou.

 

Se quiser testar sua resposta:

  • Leia-a em voz alta. Como ela soa para você?
  • Leia-a para um amigo ou conhecido, e verifique se ele te entendeu bem. Que impressão você passou?

Questão número 6: Qual foi o motivo da sua saída do seu último trabalho?

Perguntas semelhantes

  • Por que você quer sair da sua empresa atual?

Objetivo da pergunta

Esta questão costuma ser feita para tentar identificar alguma dificuldade ou problema especial que você tem ou teve. Ela também ajuda o entrevistador a entender quais são os motivos que o levariam a mudar de trabalho.

O que ter em mente para respondê-la bem?

Busque motivos reais que não comprometerão você frente ao entrevistador. Procure destacar o que você quer fazer ou desenvolver, mas que não teria oportunidade no emprego atual ou anterior. Assim você fala de algo que você quer de diferente enquanto mantém uma atitude positiva. Você quer poder usar mais certa competência? Você quer trabalhar uma empresa em que seus esforços possam gerar mais resultados?

Se você foi demitido, mencionar a crise ou uma reestruturação na empresa que gerou desligamentos pode ser argumento válido, desde que esses fatores tenham de fato influenciado a sua demissão.

Se você pediu demissão, falar sobre os desafios e oportunidades de crescimento e desenvolvimento que você busca pode ser uma boa. É importante, no entanto, que você saiba explicar claramente quais oportunidades e desafios está buscando, pois isto será questionado.

Atenção!

Você não precisa mencionar de quem foi a iniciativa do seu desligamento, ou seja, se foi você quem pediu demissão ou se você foi demitido. Se isso lhe for perguntado, responda com naturalidade. Ser demitido é algo pelo qual a maioria das pessoas já passou em algum momento da carreira, talvez até mesmo o seu entrevistador.

Evite falar sobre problemas de relacionamento, insatisfações com chefes, colegas ou com a cultura da empresa durante a entrevista. “Queimar o filme” do empregador atual ou anterior pode acabar “queimando o seu filme” também. Se for indispensável trazer o assunto, traga uma visão positiva a esse respeito. O que você aprendeu com este problema ou situação que viveu? Como este aprendizado pode ajudá-lo de agora em diante?

Prepare-se! Responda agora:

Qual foi o motivo de saída do seu último trabalho?

 

Se quiser testar sua resposta:

  • Leia-a em voz alta. Como ela soa para você?
  • Leia-a para um amigo ou conhecido, e verifique se ele te entendeu bem. Que impressão você passou?

 

Questão número 7: Quais foram os maiores desafios que você enfrentou na sua carreira?

Objetivo da pergunta

Nesta pergunta o entrevistador que entender com qual tipo de pressão, dificuldades e problemas você já teve que lidar. Ainda mais importante, ele quer entender como você costuma agir quando enfrenta uma situação que testa as suas capacidades e os seus limites. Você consegue encontrar soluções e garantir os resultados mesmo quando os desafios são muito grandes? A resposta desta pergunta também pode indicar competências e talentos que são mais naturais em você.

O que ter em mente para respondê-la bem?

O ideal é ter exemplos destas situações desafiadoras na ponta da língua. Por isso é importante se preparar e listar momentos em que você foi posto à prova e que conseguiu se superar, entregando bons resultados. Selecione situações em que você teve que fazer atividades ou usar habilidades que sejam relevantes para o trabalho ao qual você está se candidatando.

Quanto mais complexo tiver sido esse desafio, maior é a prova da sua capacidade de realização. Explique as razões pelas quais aquela situação era desafiadora e como você agiu para entregar os resultados esperados. Vale a pena mencionar no seu exemplo fatos ou atitudes que demonstrem que você:

  • persistiu frente a obstáculos;
  • antecipou-se a problemas;
  • buscou ajuda e apoio quando necessário;
  • teve o foco na busca por soluções, mesmo quando os problemas pareciam “gritar” mais alto.

Acima de tudo, demonstre que você garantiu os resultados, e fale quais foram eles. Se tiver números para ilustrar, melhor ainda. Falar claramente sobre os resultados que você gerou potencializa a força do seu relato e indica autoconfiança e capacidade de realização.

Atenção!

Não fale de desafios genéricos, fale de situações específicas. Por exemplo, em vez de falar sobre todos os trabalhos que você teve que entregar em prazos curtos, é melhor falar de um caso determinado em que isso foi especialmente difícil, talvez porque o prazo fosse mais curto do que costumava ser, ou porque algum outro fator tornou a situação ainda mais complicada.

Traga de preferência situações desafiadoras em que as coisas deram certo no final, para que você demonstre a sua capacidade de superação. Evite apresentar situações que não acabaram bem, a menos que elas façam parte de uma história maior que termine, por mérito seu, de forma bem sucedida.

Prepare-se! Responda agora:

Quais foram os três maiores desafios que você enfrentou na sua carreira?

 

Se quiser testar sua resposta:

  • Leia-a em voz alta. Como ela soa para você?
  • Leia-a para um amigo ou conhecido, e verifique se ele te entendeu bem. Que impressão você passou?

Questão número 8: O que você acha do seu chefe anterior ou atual?

Perguntas semelhantes

  • Como era seu relacionamento com seus colegas de trabalho?

Objetivo da pergunta

O entrevistador quer entender como é o seu relacionamento interpessoal no trabalho.

O que ter em mente para respondê-la bem?

O importante aqui é ser equilibrado. Responda sinceramente, balanceando aspectos bons com os ruins. O tom da resposta, no entanto, deve ser leve e positivo, mesmo que, para você, esses relacionamentos não fossem bons. Falar sobre o que você aprendeu com os pontos negativos e como você lidava com as dificuldades para garantir resultados é uma maneira de trazer essa positividade de uma maneira autêntica. Além do mais, mesmo pessoas com as quais não nos damos bem nos trazem oportunidades de crescer, correto?

Uma estratégia que funciona bem para algumas pessoas é responder a esta pergunta em três passos:

  1. fale de um ponto positivo;
  2. fale de um ponto negativo ou de uma dificuldade;
  3. finalize com um ponto ou uma conclusão positiva.

Por exemplo: “Eu pude aprender muito com minha chefe, pois a exigência dela fez com que eu melhorasse minha capacidade de me organizar e cumprir os prazos. Às vezes ela insistia que eu fizesse uma atividade exatamente como como ela faria. Mas na maioria das vezes, percebi que se eu demonstrasse que minha forma de executar a tarefa era menos arriscada, ela se convencia. Quando ela não se convencia, eu buscava ser flexível e adotar a orientação dela, o que foi um bom aprendizado.”

Atenção!

Nesta pergunta você pode ficar tentado a desabafar e falar de todas as suas insatisfações. Cuidado, esta não é a hora. Seja positivo, e inclua nos seus comentários algum aspecto favorável da situação. Por exemplo, como esse relacionamento te ajudou a crescer? Em alguns casos pode ser difícil identificar este ponto, mas insista um pouco mais. Isso trará equilíbrio e mais sinceridade caso essa pergunta lhe seja feita.

Tome cuidado também para não florear demais as situações, especialmente se for para evitar que algo negativo apareça.

Prepare-se! Responda agora:

O que você acha do seu chefe anterior ou atual? Como era seu relacionamento com seus colegas de trabalho?

 

Se quiser testar sua resposta:

  • Leia-a em voz alta. Como ela soa para você?
  • Leia-a para um amigo ou conhecido, e verifique se ele te entendeu bem. Que impressão você passou?

 

Questão número 9: Tem alguma pergunta que você gostaria de fazer?

Perguntas semelhantes

  • Você tem alguma dúvida?

Objetivo da pergunta

Aqui o entrevistador está se disponibilizando para esclarecer algum ponto. Não perguntar nada não fará mal. No entanto, esta pode ser uma ótima oportunidade para você causar uma boa impressão ao selecionador e fechar a entrevista com chave de ouro.

O que ter em mente para respondê-la bem?

Você pode usar esta oportunidade para esclarecer alguns aspectos importantes da vaga. Será necessário viajar? Com qual frequência? A empresa oferece creche para os filhos dos colaboradores? Se você tiver pesquisado sobre a empresa, pode formular questões que demonstrem que você se informou sobre a empresa e sobre a vaga.

Mais importante ainda, você pode fazer perguntas que o ajudarão a avaliar melhor se aquele trabalho tem um bom encaixe com você. Por exemplo:

  • Quais são os principais desafios que a empresa está enfrentando no momento?
  • Quais são as prioridades da empresa para os próximos anos?
  • Como é o estilo de gestão dos líderes nesta empresa?
  • Como é a cultura desta empresa?
  • O que você considera ser a melhor parte de se trabalhar nesta empresa?
  • O que você considera ser a pior parte de se trabalhar nesta empresa?

Se seu entrevistador é da área onde você vai trabalhar, você ainda pode fazer perguntas tais como:

  • Como é um dia ou semana comum para esta posição?
  • Qual a estrutura e tamanho do setor?
  • Quais são as oportunidades de crescimento que existem nesta área?
  • Quais são os maiores desafios deste trabalho?
  • Quais são as características mais importantes para alguém se sair bem neste trabalho?

Prepare uma lista de perguntas que você gostaria de fazer para aproveitar melhor esta oportunidade.

Atenção!

Aqui ainda não é hora de perguntar detalhes, especialmente sobre o salário. Sobre os benefícios, pergunte somente a respeito daqueles que são essenciais para você.

Não faça perguntas muito óbvias, que estejam disponíveis no site da empresa, por exemplo.

Faça perguntas abertas (perguntas para as quais a resposta não possa ser um simples “sim” ou “não”), que estimulem um diálogo.

Pergunte sobre temas variados. Não foque todas suas questões em um tema somente. O entrevistador pode achar que há algum problema ali.

Evite perguntas pessoais ao entrevistador.

Prepare-se! Responda agora:

Quais as perguntas que você mais gostaria de fazer ao seu entrevistador sobre o trabalho em questão?